Existe diferença entre as piscinas? Como uma piscina pode ser mais “rápida” do que outra?

A resposta é simples: Sim, existe. As piscinas mais modernas são construídas de forma a diminuir os efeitos das ondas criadas pelos próprios nadadores. A cada saída, braçada, pernada que um nadador faz, ele gera ondulações na água. Essas ondas, em piscinas mais antigas e menos preparadas, batem nas bordas ou no fundo e voltam para os nadadores. Além das ondas geradas pelo nadador da raia do lado. Essa turbulência prejudica sua técnica e sua posição do nado, influenciando diretamente na sua velocidade. Se você treina com vários nadadores na mesma raia, sabe do que estou falando. Fazer séries de velocidade com muita gente não é nada fácil.

Quem está acostumado a competir pelo Brasil já deve ter se deparado com todo tipo de piscina. Algumas com raias estreitas, outras que são caixotes e faz parecer que você está nadando águas abertas. Outras muito rasas, e por aí vai …

Mas então, o que a engenharia nos trouxe para minimizar o efeito das ondas? Na Olimpíada de Londres-2012, engenheiros e designers colocaram em prática as melhores técnicas e utilização de tecnologia para tornar as piscinas mais rápidas possíveis:

Profundidade: Durante a competição, a profundidade da piscina foi ajustada para 3 metros. Essa metragem é necessária para que as ondas geradas pelos nadadores se dissipem antes de bater no fundo e voltar.

Calhas: O nível da água fica na mesma altura da borda lateral da piscina. Dessa forma, as ondas não batem na parede e voltam, e sim continuam pela borda até caírem nas calhas, especialmente desenvolvidas para captar as ondas e não deixarem que retornem para a piscina.

calha

Largura: A largura da piscina é de 25 metros. Repare que nas competições oficiais existem 10 raias, e só são utilizadas as 8 raias centrais. É uma forma de minimizar os efeitos das ondas para quem nada nas raias das extremidades, ao se manter um pouco mais longe da borda.

raia9

Raias: A distância entre as raias é de 2.5 metros, e essa metragem ajuda a dissipar e diminuir a velocidade das ondas. As rodas coloridas nas raias estão maiores e mais tecnológicas, ajudando a dissipar a energia das ondas das melhor forma possível. Principalmente em competições americanas em jardas, é comum a utilização de raias duplas, com este mesmo intuito. Importante: elas estão sempre muito justas, não permitindo formar aquela “barriga” que invade a raia do lado.

raia

Mesmo assim, é impossível anular totalmente os efeitos das ondas. Quem compete nas raias das laterais, sofre mais com as ondas. Quem lidera a prova também leva vantagem. Então, na medida do possível, tente competir nas raias centrais, principalmente se a piscina não for tão moderna (como a grande maioria aqui no Brasil).

Descubra como são montadas as piscinas mais modernas do mundo clicando aqui. 

Gostou desse post? Siga o Raia Oito no Facebook e acompanhe todas as novidades!

Fonte: http://www.livescience.com/21921-summer-olympic-science-london-s-pool-making-swimmers-faster-video.html