A natação é um esporte que trabalha todos os músculos. No entanto, ter uma pernada eficiente e sincronizada com as braçadas e a posição do corpo na água contribui significativamente para uma melhor propulsão do nado, principalmente em provas de velocidade. E é ai que muitos atletas de natação se perguntam: qual o melhor treino para aprimorar a pernada? Com prancha ou sem prancha?

Para quem gosta de cortar alguma metragens com ajudinha da mão na hora de respirar, quando a série é sem prancha, ou aprecia uma boa conversa, quando com prancha, pode ficar aliviado! Ambos exercícios devem ser excetuados (com seriedade) no seu dia a dia da natação.

Abaixo, veja o objetivo de cada exercício e aprimore cada vez mais o seu nado:

Bater perna com prancha é recomendado para atletas que têm dificuldade de flutuação. O exercício também intensifica o trabalho dos quadríceps.

A prancha é mais utilizada para trabalhos nos nados crawl e peito. Nos estilos borboleta e costas acredita-se que o movimento livre do material melhore a posição do corpo, trazendo melhor rendimento.

Recomendada para todos os níveis e idades, a prancha tem diferentes abordagens dentro dos conteúdos de treino. Para os iniciantes, seu maior benefício é o aprimoramento da técnica de pernadas. Já em níveis mais avançados, o acessório é indicado para séries que visam melhorar a força e a resistência, além de potencializar movimentos de perna. Tudo vai depender dos objetivos de cada nadador.

  • Perna sem prancha 

O exercício melhora não somente o posicionamento corporal, como consegue aumentar o trabalho da musculatura abdominal, que é fundamental para o sucesso nos nados de costas e borboleta.

Um dos educativos mais usados para a melhora do alinhamento e da rotação corporal para os nados de crawl e costas é o exercício da perna lateral, que pode ser usado durante o aquecimento ou durante as séries de perna.