Não! Se você estava achando que íamos falar de medo de cobra, insetos, palhaços, lugares fechados, altos, apocalipses zumbis, ETs ou chupa cabra, se enganou. Aqui é para falar de coisas que REALMENTE põe medo em qualquer nadador. Coisas que nenhum psicólogo vai conseguir resolver. NENHUM. E vai um aviso: se você tem problemas cardíacos, recomendamos que não continue lendo este post.

QUEIMAR A SAÍDA. Você está pronto. Se sente pronto. Você perdeu as contas de quantas saídas treinou no ano. Você leu o nosso post sobre como ter uma saída explosiva, letra por letra, e colocou tudo em prática. Você deixou o Cielo preocupado. E nunca, nunca durante o treino, você deu uma saída falsa. Aí está você, na sua prova, na frente do bloco. O juiz apita, você sobe. “A suas marcas”. E começa a demorar para apitar a saída. Filho da mãe. Você fica impaciente, sua perna começa a trepidar, você tenta se segurar, mas quando percebe, perde o equilíbrio. Caiu na água… e é aquela vergonha, sair da piscina sozinho, todo mundo olhando. O árbitro pede para você se afastar enquanto uma nova saída é dada. Não sei se isso vai te ajudar, mas saiba que já aconteceu com grandes nadadores também:

medos_de_um_nadador

Pra cima deles, Thorpe!

 

CAIR O ÓCULOS (OU ENTRAR ÁGUA). Quem nunca deu uma saída, principalmente quando você era mais novo, e o óculos caiu e foi parar na boca? Aí você tentar respirar, mas não consegue? Sempre muito legal, muito bacana. Mas acontece até com o melhor nadador do mundo. Michael Phelps, nas Olimpíadas de Pequim-2008, nadou os 200m borboleta na final sem enxergar nada. Ele tinha acabado de subir ao pódio para receber uma de suas infinitas medalhas de ouro e iria nadar logo em seguida. Provavelmente na pressão, acabou não ajustando o óculos corretamente no rosto. Ele diz que a cada braçada que fazia mais água entrava. Mas, como um nadador olímpico de alto nível que é, sabia exatamente quantas braçadas precisava fazer a cada 50m, e assim, completou a prova com novo recorde mundial. Então, comece a contar suas braçadas, fera!

ARREBENTAR O ÓCULOS OU RASGAR A TOUCA. Não existe nada mais desesperador para um nadador do que quando ele está no balizamento, prestes a entrar na piscina,  vai colocar o óculos e o MALEDETO elástico estoura. Tenho a impressão que é neste momento que muitos palavrões são inventados. Ai você fica desesperado, olhando para o lado, tentando achar alguém que possa resolver sua vida e te arrumar um óculos antes de começar a prova … quem nunca?

 TRAVAR. Normalmente entregue com uma boa dose de dor em cada um dos seus 660 músculos, o ato de “travar” pode acontecer se você passar muito forte, se você não treinou muito bem, se está em um momento pesado de treinos… Até mesmo ficar pensando nisso antes da prova prejudica, nossa cabeça nos trai nesse momento. Quando você está bem treinado, polido, e sua estratégia de prova da forma correta, as chances disso acontecer são bem menores. Mas aquela sensação que você está carregando um balão na cintura não é nada gostoso.

PERDER NA BATIDA DE MÃO. Da um ódio mortal!!! Vontade de arrancar a cabeça de alguém e pendurar num poste!! Não que eu tenha feito isso alguma vez na vida, mas…. da vontade. Se te resta treinar mais para ganhar na próxima.

RASGAR SEU TRAJE. Na época dos trajes que foram proibidos era mais comum de acontecer. Também são maiores chances de rasgar quando ele já foi bem usado. E claro, ele não vai ser legal e rasgar quando você o está vestindo, assim você tem tempo de correr atrás de um plano b. Ele vai rasgar no balizamento, na saída …

Pouca vergonha!

 

CÂIMBRAS. Sentir aquela facada na panturrilha nos últimos metros da prova é sacanagem. Acaba com qualquer possibilidade de sucesso. Mas saiba que existe como minimizar essa possibilidade.

ESCORREGAR NA SAÍDA DE COSTAS. Nem todo mundo compete em piscina gourmet com degrauzinho para apoiar os dedinhos. A gente que é da natação underground tem que se virar com placar ruim, azulejo liso… reza para deixarem usar uma toalha salvadora, se não, é melhor se encolher menos antes de fazer a saída.

BATER NA RAIA. Principalmente para nadadores de costas. Se você perder a direção e bater na raia, o que pode acontecer mais facilmente em piscinas abertas, vai perder tempo e sua concentração, e obviamente vai piorar seu tempo. Já vi casos também de nadadores baterem a mão e se machucarem nadando outros estilos como livre e borboleta. Fora o susto que você leva.

Gostou desse post? Siga o Raia Oito no Facebook e acompanhe todas as novidades!