“Para que fazer educativos? É muito chato!”

Que atire a primeira prancha quem nunca pensou isso.

A chave do sucesso para melhorar sua técnica é conseguir executar seus movimentos de forma mecânica, natural, sem precisar pensar no que está fazendo. Mas para isso, existe um processo que você terá que passar, e adivinhe o que você vai precisar fazer?

Antes de mais nada, é preciso ter clareza em quais são os pontos do seu estilo que você precisa melhorar. Converse com seu técnico/professor sobre o que ele isso. Uma boa estratégia é pedir para ele filmar você nadando e depois pedir para ele te mostrar o que pode ser melhorado através das imagens. Ver o que você está fazendo ajuda muito a criar consciência do que precisa ser feito.

E sim, a melhor ferramenta para melhorar sua técnica é fazendo os “chatos” dos educativos. Pode até não ser a parte mais divertida do treino, mas com certeza é muito importante. O objetivo é justamente melhorar alguma parte do seu nado, seja a braçada, a entrada na mão na água, a frequência das pernadas, e por aí vai. Os educativos não devem ser negligenciados de forma alguma se você realmente quiser melhorar. Então pare dar migué nas séries de educativo e comece a levar a sério.

Vejo muitos nadadores fazendo de qualquer jeito ou até rápido demais, como se quisesse terminar logo. Isso é uma grande perda de tempo. São exercícios que precisam ser feitos devagar, com calma, prestando atenção em cada movimento. Este não é o momento para querer nadar mais rápido que seu colega.

Com isso em mente, escolha os educativos que trabalhem os pontos que você mais precisa melhorar. Treine, treine e treine. Repita a execução do movimento incessantemente. É através da repetição que seu cérebro começa e a interpretar o novo movimento como sendo o “normal”.

Intercale a execução de educativos com execuções do nado completo prestando muita atenção nos movimentos. Ex: séries de 100m fazendo 75m educativo, 25m nadando com a melhor técnica possível.

Fique tranquilo, é normal que um novo movimento faça você se sentir desconfortável. Talvez você até sinta dores, já que seus músculos não estão acostumados ao novo movimento. Pode levar um tempo para adquirir a coordenação necessária, então não estranhe se você se sentir mais lento durante este processo. Mas você não pode desistir!

Abaixo seguem 10 educativos (e alguns palmateios) para melhorar seu nado livre:

 

college essay diabetes viagra elderly http://mcorchestra.org/2950-who-can-write-my-paper-for-me/ review of essay writing services pdf cover letter for job application http://mechajournal.com/alumni/pay-to-write-my-term-paper/12/ thesis in finance walmart generic viagra gyllenhaal viagra professional resume writing services columbus ohio http://www.naymz.com/good-thesis-statement-helps-guide-the-rest-of-your-paper/ examples of process essays topics australian essay writing service thesis editing buy cialis cape town thesis about content management system depression essay example https://thejeffreyfoundation.org/newsletter/harmful-effect-of-junk-food-essay/17/ go to site graduation speech essay order flagyl 500mg online evacuation homework help kardashians otc viagra pill green environment essay essay about my pet dog essay on dia de los muertos https://soils.wisc.edu/wp-content/uploads/index.php?apr=write-my-term-papers click click here essay writing powerpointВ professional essay writers 1 – O famoso “vai com um braço, volta com o outro”.

A ideia aqui é simples: nade usando somente um braço, deixando o outro parado ao lado do corpo. Preste muita atenção em todo o movimento do braço, desde a entrada da mão na água com a máxima amplitude, até a puxada e recuperação aérea.

2 – Braçada de Crawl com pernada de peito

Faça uma pernada de peito após cada ciclo de braçadas (esquerda e direta), respirando para frente quando você fizer a pernada de peito.

3 – Mão fechada

Nade normalmente, mas com as mãos totalmente fechadas. Atenção: mãos bem fechadas, como se fosse dar um soco. Uma variação deste educativo é a cada ciclo de braçadas ir abrindo um dedo por vez, começando pelo dedinho.

4 – Pegada dupla

Nade normalmente parando a braçada na frente durante 2 segundos, quando a mão tocar a superfície da água.

5 – Fase aquática

Nade sem tirar o braço fora da água. A recuperação da braçada também deverá acontecer debaixo da água.

6 – Palmateio Curto

Mantenha seus cotovelos dobrados e fixos ao lado do corpo, olhando para baixo. De baixo da água, movimento seu antebraço e suas mãos de forma alternada, desenhando um semi circulo para se locomover.

7 – Palmateio de Costas

Fique de costas com os pés voltados para a frente. Faça movimentos rápidos e alternados das mãos e punhos atrás da cabeça para se locomover até a outra borda da piscina.

 

8 – Toque no ombro

Dobre seu cotovelo de forma exagerada durante a recuperação do braço na fase aérea e toque sua mão no ombro com uma pausa de 2 segundos.

9 – Variando velocidade

Nade crawl intercalando 4 braçadas fortes com 6 braçadas fracas.

10 – Rolamento do quadril

Nade respirando para os dois lados e faça uma pequena pausa quando seu corpo estiver de lado, na posição da respiração, forçando a máxima rotação do corpo.

Fonte: Todos os videos foram encontrados no Canal do Youtube Arena Water Instinct.

Gostou desse post? Siga o Raia Oito no Facebook e acompanhe todas as novidades!