Ahhh, o bom e velho borboleta, um dos estilos mais temidos na natação por exigir uma combinação de técnicas de pernada, braçada e respiração bem distinta de outros estilos. Geralmente é o último estilo que aprendemos quando estamos começando a nadar.

Se você já aprendeu o estilo mas ainda tem algumas dificuldades em nadar corretamente ou em conseguir manter um ritmo, essas dicas podem te ajudar a melhorar! São algumas recomendações que se praticadas no dia a dia vão te garantir uma melhor técnica de borboleta.

viagra in hamburg operating system assignment help thesis topics philosophy thesis statement slavery pay for esl blog post plan dissertation qui suis-je tablete viagra buy powerpoint presentation essay teen pregnancy source url go to site literature review on spitting difference between thesis and dissertation in uk http://jeromechamber.com/event/short-essay-on-french-revolution/23/ viagra and gay wrestling apa formatted research paper case study writers source baby thesis topics in filipino subject http://www.safeembrace.org/mdrx/where-buy-cialis/68/ cialis in dubai ncsu mfa creative writing cialis and red patches on skin http://www.conn29th.org/university/facebook-research-paper.htm buy viagra with american express card cialis thailand https://www.cochise.edu/academic/homework-helper-double-digit-multiplication/32/ how to write better thesis statements college thesis generator thesis on child rights in nepal julius caesar thesis ideas source link 1. Sincronia e ritmo.
O borboleta exige uma sincronização precisa entre pernadas e braçadas, se você não ondular no mesmo ritmo da sua braçada, vai prejudicar sua hidrodinâmica e vai se cansar muito mais rápido sem sair do lugar. Por isso a dica é, não ondule na mesma velocidade que você daria pernadas de crawl por exemplo, tente sempre combinar suas ondulações com as diferentes fases da sua braçada, uma durante a puxada e outra durante a fase de recuperação (fase aérea) da braçada.

Olha a sincronia entre braçada e pernada

2. Bloqueie sempre a primeira respiração.
A parte mais eficiente desse nado é a parte submersa na saída de borda ou virada, onde você ondula e pode conseguir uma boa velocidade para iniciar o nado. O que acontece muitas vezes é que o nadador ao dar sua primeira braçada, tenta respirar e acaba gerando um excesso de atrito com a água. Esse atrito literalmente quebra o ritmo de nado e cria um arrasto que torna mais difícil quebrar a inércia e dar a próxima braçada.
Bloqueando a primeira respiração (bloquear = não respirar) você pode manter a cabeça abaixada (olhando pro fundo, não pra frente) e ter um início de nado mais eficiente e que aproveita melhor a propulsão da sua fase submersa.

Veja como o corpo mantém a velocidade com a primeira braçada bloqueada.

3. Respire, mas sem ficar olhando pra frente.
Sim, a respiração do borboleta é frontal, mas não significa que você deve ficar o tempo todo olhando para frente. Depois que você tira a cabeça da água para respirar, ai sim você tem que olhar pra frente. A cabeça deve voltar para a água, mas seu queixo deve estar apontado para o seu peito e não para o fundo da piscina. Nadar olhando pra frente causa mais atrito com a água e reduz sua velocidade, tornando o nado mais difícil. Se quiser ver mais dica para reduzir seu atrito com a água, dá um click e dê uma olhada nessa dicas.

Olha a posição da cabeça depois da respiração. Sem olhar pra frente!

4. Séries de perna, muitas séries de perna.
Uma ondulação eficiente é o que vai te ajudar a manter seu corpo estável durante o nado e vai te ajudar a economizar força de braçada para respirar. Por isso, sempre procure fazer séries de perna de ondulação com ou sem prancha e fortaleça bem seus músculos pra garantir um bom ritmo de nado depois.

5. Evite respirar em todas as braçadas.
Parece ser meio contra intuitivo não respirar e esperar que isso ajude no seu nado. Acreditem, eu sei o desespero que é ficar sem respirar no borboleta pensando que você não vai ter fôlego para a próxima braçada, principalmente nadando provas de 200m borboleta como eu nadava. Mas a verdade é que uma frequência como 2×1 (2 braçadas pra cada respirada) pode te ajudar a manter um nado mais fluído por garantir que você aproveita melhor a força feita durante a braçada, e te dá mais ritmo que ajuda a manter sua técnica de nado mais estável.
Toda vez que você respira você faz mais força pra tirar a cabeça da água e isso pode te deixar mais lento, tente praticar isso durante seus treinos e você vai ver que depois de um tempo você se acostuma com esse padrão de respiração.

No começo é difícil manter um ritmo no borboleta, principalmente porque sem uma técnica eficiente você gera muito atrito com a água e não consegue quebrar a inércia para atingir uma boa velocidade. Geralmente é isso que torna o nado tecnicamente mais difícil e a razão pela qual muitas pessoas acabam desistindo do estilo.

Não desanime! A prática dessas dicas deve te ajudar e você vai ver, uma vez que você encontra seu ritmo de nado o borboleta é um dos estilos mais “gostosos”de nadar.

Gostou desse post? Siga o Raia Oito no Facebook e acompanhe todas as novidades!

Vídeo original dos Gifs desse post: Butterfly Swimming Technique – How to swim butterfly