A técnica do nado borboleta é complexa e requer muita força. No entanto, o ponto principal para um bom nado é conseguir uma boa coordenação de braços e pernas com a respiração.

O nado borboleta tem quatro pontos-chaves: posição corporal, braçada, pernada e coordenação braço-perna-respiração.

Posição corporal

O corpo fica na posição horizontal, cabeça submersa, a não ser no momento da respiração, e o queixo próximo ao peito.

Braçada

Consiste em cinco fases: entrada-deslize, varredura para fora-agarre (nesse momento, os cotovelos se flexionam para atingir o ponto de máxima força); varredura para dentro; varredura para cima-finalização (finalizar o movimento com as mãos junto à coxa); e recuperação.

Pernada

Os joelhos devem estar próximos um do outro; os pés estendidos e os tornozelos relaxados. Para ter uma pernada eficiente, é muito importante que o movimento seja contínuo, as duas pernadas sejam fortes, curtas e com origem nos quadris.

Coordenação braço-perna-respiração

Os nadadores executam duas golfinhadas completa durante cada ciclo de braçadas. A primeira pernada ocorre quando as mãos fazem a entrada na água à frente. A segunda pernada ocorre durante a varredura para cima da braçada, na altura do quadril. A respiração ocorre quando as mãos estão próximas ao abdômen e momentos antes da execução de uma pernada.

Conseguindo sincronizar e aperfeiçoar os quatro fundamentos, qualquer atleta está apto para enfrentar e aprender um dos estilos mais difíceis da natação. Veja alguns educativos para melhorar a técnica:

Arrastar de polegar

Durante o nado, quando braço estiver começando a fase aérea da braçada (recuperação), arraste o dedo polegar (em toda a fase aérea) até a entrada das mãos na água. Esse educativo é utilizado para corrigir a posição, que deve ser feita com os braços bem rentes à água e com ligeira flexão nos cotovelos; as mãos devem entrar na água com as palmas voltadas para fora e na largura do ombro.

Biondi drill

O movimento começa com o corpo totalmente estendido à frente, os dois braços esticados, executando-se apenas a pernada de borboleta. Após duas a quatro pernadas, procede à fase submersa da braçada de borboleta, encerrando-a bem ao final da extensão de seus braços

Peito-borboleta

Executam-se três ciclos completos de borboleta e logo depois três braçadas de peito com perna de borboleta. Esse exercício educativo faz o atleta sentir e perceber o agarre (ponto de máxima força), que é o mesmo do nado peito.

Gostou desse post? Siga o Raia Oito no Facebook e acompanhe todas as novidades!