Imagine disputar um Campeonato Mundial. Sonho distante? Mayra Siqueira é jornalista, trabalha todos os dias em uma rádio e tem uma rotina de uma “pessoa normal”. Em agosto, embarca para Budapeste, na Hungria, para nadar na mesma piscina em que competiram grandes nomes como Katie Ledecky, Katinka Hosszu e Sun Yang. O Campeonato Mundial Master oferece essa possibilidade aos nadadores amadores.

Mayra conheceu a competição por meio de um técnico que tinha participado da edição de 2010 e a convidou para ir para o Mundial seguinte, na Itália, em 2012. “Não pude ir, achei meio absurdo. Em 2014, ele começou a me pilhar pra ir pra Montreal e eu vi que era uma coisa real”, conta a jornalista. “Vi os tempos, vi que existia todo um universo master maravilhoso e vou pra minha terceira edição agora”.

Para participar, só é necessário se inscrever. Todos podem fazer a inscrição, mas só pontuam no campeonato aqueles que fizerem um índice mínimo, que não costuma ser muito exigente e varia de acordo com a faixa etária.

Os custos da viagem ficam por conta do próprio nadador. Como as viagens internacionais não são baratas, Mayra deu um jeito de estar entre os melhores atletas amadores do mundo: “Em 2015, fiz uma vaquinha on-line e algumas rifas. Contei com ajuda de amigos e de familiares, com milhagem pras passagens e hospedagem”. Este ano, ela está vendendo rifas de camisetas de times autografadas pelos jogadores para ajudar nos custos.

E se você pensa que a Mayra só foi fazer turismo em Montreal, em 2014, em Kazan, em 2015, e vai conhecer Budapeste este ano, está enganado. “Fui campeã, vice e terceiro lugar em revezamentos em Montreal! Em Kazan, fomos bronze em um revezamento”, lembra a jornalista. “Nas provas individuais, minhas melhores colocações foram sexto lugar, em duas provas em Kazan. Em Montreal, fiquei em nona em duas provas”. Como no Mundial Master, todos no top-10 ganham medalha, Mayra voltou com as malas mais pesadas dessas competições.

E, mesmo que não tivesse conseguido medalhas, a jornalista e nadadora diz que a experiência é maravilhosa: “É incrível! Não é pra ter pressão, é divertido, clima de grupo, de amizade, você conhece gente do mundo inteiro e troca artigos, toucas, camisetas dos países. Você vê histórias incríveis de superação e você se coloca à prova da sua própria superação, mesmo sem ser profissional. O clima é muito leve. E isso vale muito a pena”!

O Mundial Master acontece entre os dias 07 e 20 de agosto em Budapeste, na Hungria, nas mesmas estruturas que receberam o Mundial de Esportes Aquáticos da Fina. A competição conta com atletas masters de natação, águas abertas, polo aquático, saltos ornamentais e nado sincronizado.