O ex-nadador Gary Hall Sr, ensina, em seu site The Race Club, como fazer a saída de costas perfeita. Quem dá o exemplo é o japonês campeão mundial Junya Koga:

Saídas bonitas
Não há mistério. Uma boa saída de costas é bonita, como um golfinho pulando como se estivesse passando no meio de um bambolê. Você não vê a água espirrando e quase não ouve barulho.

Diferentemente dos outros estilos, o nadador de costas começa a prova de uma altura mais baixa em relação à água. No entanto, a força da gravidade ainda é importante. O nadador deve se lançar para cima, não apenas para trás, para atingir a maior velocidade possível no momento da entrada na água. Além disso, é preciso evitar que qualquer parte do corpo arraste na superfície durante o lançamento.

Se fosse possível paralisar o movimento do atleta no pico da saída, daria para ver os pés e as mãos muito próximos à piscina e o quadril bem mais alto. O corpo forma um U invertido, com as costas arqueadas e totalmente fora da água.

Foto: Peter H. Bick

what is the cost of detrol la Eleve o corpo
Para que possa alcançar uma boa altura durante a saída, o atleta precisa se lançar do alto. Ao sinal de “às suas marcas”, o nadador precisa elevar o corpo até que o quadril fique acima da superfície. Atingir essa posição fica mais fácil com os pés na altura do nível da água ou quando o apoio para pés é utilizado.

Quando o corpo é elevado, as costas devem ficar retas e o rosto para cima, não olhando para baixo. Assim como fazer uma barra, atingir essa posição exige bastante força. O peso do corpo saindo da água aumenta as chances de os pés escorregarem na borda que não tiver o apoio. Quanto ao apoio das mãos, a maioria dos nadadores olímpicos prefere as barras verticais do bloco. Os que preferem as horizontais tendem a pegar nas mais altas. Mas o importante é se sentir confortável para poder lançar o corpo o mais alto possível.

Curve-se para trás
Quando o sinal da saída é dado, o nadador deve jogar os braços quase totalmente estendidos e a cabeça para trás. Esses movimentos aumentam a força da entrada na água. Com as costas totalmente arqueadas, o contato do corpo com a água na saída é evitado até que as mãos entrem antes, a uma velocidade maior, gerada pelo lançamento. As mãos devem estar unidas, na posição de streamline.

Outro movimento que ajuda na propulsão da saída é o chute para cima quando o corpo já entrou na água. Logo antes de as mãos entrarem na piscina, a cabeça começa a ficar reta e as costas deixam de ficar arqueadas, para evitar que o corpo afunde muito no momento da entrada na água.

Prenda a respiração durante o submerso
Quando o corpo fica totalmente submerso, a prova de costas realmente começa com a ondulação submersa. Em provas de piscina curta, os nadadores passam mais tempo fazendo submerso do que nadando costas na superfície. Quanto melhor a ondulação, melhor a saída será. Como os nadadores costumam ir mais fundo na saída de costas, o número de ondulações para se chegar à superfície será maior que em uma saída do bloco. Não há uma quantidade certa de ondulações para se fazer. Isso varia de nadador para nadador, sempre tomando cuidado para não passar da linha dos 15 metros, pois isso causa a desclassificação em uma prova de natação.

Usar um nose clip pode ajudar muito os nadadores de costas. Isto porque ondular com o ar no pulmão ajuda a manter o peso do corpo zero embaixo d’água. A primeira respiração depois de atingir a superfície não deve ser muito demorada, para que não se perca muito tempo.

A prática leva à perfeição
A melhor forma de melhor sua saída é treinando. Uma ideia é começar os tiros de costas no treino sempre com saída. Dessa forma, você vai ficar craque!

Leia também:  Como melhorar a posição da cabeça no nado de costas