Nadar na água gelada pode ser perigoso se você não estiver acostumado. No entanto, se você treinar seu corpo para aguentar as baixas temperaturas, isso pode até ser benéfico para sua saúde.

Existem vários eventos em países como Rússia, China e Finlândia em que centenas de pessoas se aventuram a mergulhar em águas congelantes.

Nadar na água gelada está se tornando cada vez mais popular. Competições desse tipo são organizadas em todo o mundo, nos mais diferentes níveis. A cada dois anos, O Campeonato Mundial de Natação de Inverno é organizado. A última edição foi sediada na Rússia, em março de 2016, e atraiu 1275 participantes de 42 países. A próxima, terá lugar na Estônia. Mas, afinal, por que tanta gente passa esse frio todo?

Os nadadores que gostam de águas congelantes dizem que a atividade revigora e os faz sentir mais vivos. A endorfina traz uma sensação boa e um mergulho pela manhã é capaz de deixar os nadadores se sentindo com energia durante o dia todo.

Além desses alguns outros benefícios são apresentados, apesar de ainda não haver pesquisas sobre o assunto. Evidências sugerem que nadar com regularidade na água fria pode fortalecer o sistema imunológico, acelerar o metabolismo, melhorar a circulação sanguínea, aumentar o tônus da pele e a libido.

No entanto, existem perigos. O principal deles é a resposta fisiológica do corpo às baixas temperaturas, que pode causar suspiros involuntários e hiperventilação àqueles que não estão acostumados. Se sua cabeça estiver debaixo d’água ou você estiver cercado por ondas grandes, existe o risco de afogamento. A freqüência cardíaca e pressão sanguínea também aumentam de repente, o que é perigoso se você tiver alguma doença relacionada à circulação.

Após o choque inicial, você será capaz de nadar um pouco, mas os músculos começam a ficar mais fracos à medida que a hipotermia começa a agir e o sangue do corpo sai das extremidades para se concentrar no corpo. A velocidade com que isso acontece depende da temperatura da água, da sua porcentagem de gordura corporal, o quanto você está imerso e outras variáveis.

Então quer dizer que nadar em água gelada é perigoso? Pode ser, por todos os motivos já apresentados, mas nosso corpo tem a capacidade de se adaptar a baixas temperaturas com um pouco de treino. A aclimatação permite que você supere a maioria das respostas fisiológicas negativas enquanto mantém os benefícios da refrescância. E é claro que não é necessário nadar em águas congelantes para ver as vantagens – fazer seu treino em água fria já pode ser bastante revigorante.

Se você está interessado em abaixar a temperatura, consulte seu médico, já que esse não é um esporte recomendado para pessoas com problemas cardíacos ou com hipertensão não tratada. Quando tiver o ok do médico, comece gradativamente. Se você mora perto de um rio, lago ou do mar, a forma mais fácil para se acostumar é começar nadando regularmente no verão, enquanto a temperatura da água ainda estiver relativamente alta. Outra opção é aumentar aos poucos o tempo que você fica dentro da água. Tomar banhos frios também pode te ajudar a criar certa resistência. Nadar pelo menos uma vez por semana em água gelada vai te dar uma boa base.

Vá com calma quando estiver começando. Se estiver nadando em águas abertas, fique perto da costa, hidrate-se e siga todas as regras de segurança.

Se você passar do primeiro obstáculo mental, pode acabar viciado nas baixas temperaturas… e pensar em se inscrever na próxima edição do Campeonato Mundial de Natação de Inverno.

E aí, já tentou nadar na água gelada? Conte pra gente como foi!

Texto adaptado do site Arena Water Instinct.

Leia também:  Grupo de nadadores cria dispositivo para monitorar treinos