Você já reparou que todos os nadadores de alto rendimento do mundo fazem a rotação de tronco, girando os ombros, quando nadam crawl ou costas? E não só um pouquinho, mas um movimento bastante amplo. Por que será que eles fazem isso?

 

Rotação de corpo do chinês Sun Yang durante a prova dos 1500 livre no Mundial de Barcelona, em 2013.

 

Arrasto frontal – será mesmo esse o motivo?

Muitas pessoas acreditam que o principal motivo para que se realize a rotação do corpo é a diminuição do atrito com a água. Mas, se pararmos para pensar, se ficar com o corpo de lado na água trouxesse vantagens, a ondulação submersa também seria feita nessa posição, não é mesmo?

É preciso bastante força no core para conseguir rolar o corpo durante o nado. E, se exige tanta força, por que é importante fazer isso se o atrito não é diminuído? Ainda está confuso, não é mesmo?

Na verdade, existem dois motivos que tornam a rotação do corpo, que não a diminuição do arrasto. Um tem a ver com a biomecânica do nosso corpo e o outro com a coordenação entre dois movimentos. Tudo ainda muito confuso? A gente explica!

Biomecânica

Este é o músculo que ajuda na hora em que fazemos a rotação do corpo. Ilustração: site Aula de Anatomia.

Imagine que você precisa fazer força com um dos braços para baixo, por exemplo, numa máquina de musculação, sem fazer a rotação dos ombros. Parece possível, mas exige certo esforço, não é mesmo? Agora imagine ter que movimentar o mesmo peso podendo rodar o corpo. Mais fácil, certo?

Isso acontece porque, quando giramos o corpo, nossos músculos das costas, principalmente o maior deles, chamado latíssimo do dorso, pode dar sua contribuição no movimento. Dessa forma, quando fazemos a rotação do corpo ao nadar, temos uma contribuição de um grande músculo no movimento da braçada. É por isso que, ao rotacionar o tronco, temos uma vantagem biomecânica no nado.

Coordenação de movimentos

Leia também:  Como melhorar a sua performance na natação?

Vamos começar com um exemplo. Quando fazemos a saída do bloco, se dependermos apenas da força dos braços empurrando a baliza, a propulsão não vai ser grandes coisas, não é mesmo? No entanto, quando fazemos o movimento da saída e ajudamos a propulsão com os braços, ela fica melhor. A mesma coisa acontece com a rotação do corpo no crawl e no costas.

Enquanto fazemos as braçadas, a rotação do corpo ajuda a aumentar a força do movimento durante o nado, aumentando a propulsão. Quanto mais rápido conseguirmos girar o corpo, mais rápido conseguimos nadar.

Quando pensamos na ajuda do músculo das costas e na coordenação dos movimentos que aumentam a força da braçada, vale a pena rotacionar o corpo durante o nado, não é?

Texto adaptado do site SwimSwam.