Todo mundo gosta de relaxar em momentos de lazer e, para isso, muita gente curte tomar vinho, cerveja ou até mesmo uma caipirinha. Mas como será que isso afeta seu desempenho dentro d’água? Para responder a algumas questões, perguntamos à doutora em nutrição esportiva Cintia Pettinati, da Venutri consultoria nutricional, quais os efeitos do álcool sobre o corpo de um atleta quando ele pratica esportes depois de umas bebidinhas e também a longo prazo. E, é claro, destacamos tudo o que você precisa saber antes do próximo happy hour!

Como o álcool age no corpo

Quando bebemos, o álcool entra na corrente sanguínea e provoca algumas alterações no nosso corpo. Entre elas estão a desidratação e a hipoglicemia – quando a quantidade de glicose no sangue diminui. Além disso, quando ingerimos bebidas alcoólicas, estamos consumindo uma quantidade considerável de calorias. “Um grama de álcool tem 7 calorias, um grama de carboidrato tem 4. Então, se formos fazer uma comparação direta, tomar álcool é mais calórico do que comer pão”, exemplifica a nutricionista.

A intensidade desses efeitos varia de acordo com o gênero, o metabolismo e alguns outros fatores individuais, mas todo mundo passa por isso em menor ou menor grau quando bebe.

O que isso tem a ver com a atividade física

O principal problema do consumo de álcool por atletas é a desidratação, isto porque ter água suficiente no corpo é fundamental para o bom funcionamento do organismo, principalmente durante a atividade física. “Muitas vezes, as pessoas não sabem que elas estão desidratadas e ‘quebram’ ou ‘travam’ na atividade física”, explica Cintia. “Ter álcool na corrente sanguínea diminui a força, diminui a velocidade, a capacidade respiratória e muscular e o equilíbrio do indivíduo”, completa. A possibilidade de lesões também aumenta quando há menos água no corpo.

Outro ponto ao qual se deve prestar atenção é a diminuição da quantidade de glicose no corpo durante o exercício. “A hipoglicemia é quando eu começo a usar a proteína como forma de energia pois não há mais glicose no organismo”, conta a doutora. “A atividade física já promove uma redução dessa glicose e o álcool acentua mais ainda esse efeito”.

Mais uma coisa para se prestar atenção é a grande quantidade de calorias presentes em cada dose de bebida alcoólica, que pode levar ao aumento de peso e atrapalhar seu desempenho na piscina.

E se eu não bebo logo antes de nadar?

Você deve estar pensando “tá bom, mas eu não bebo e logo em seguida vou nadar, o que eu tenho a ver com isso?”. O problema é que, quando ingerido, o álcool fica presente no nosso organismo por algum tempo. “Durante 72 horas o álcool ainda vai estar circulando na corrente sanguínea e eu posso ter as consequências citadas no corpo do atleta”, esclarece Cintia.

À medida que o tempo passa depois das bebidas, os efeitos no nosso corpo vão diminuindo, mas é preciso dar um tempo para que o organismo se recupere antes do esforço da atividade física.

Quer dizer então que eu não posso mais beber?

Se você gosta de tomar seu vinho, sua cerveja ou sua caipirinha, fique tranquilo. Você não precisa abrir mão dessas coisas. É só respeitar os limites do seu corpo e fazer um consumo consciente das bebidas alcoólicas.

O segredo é o equilíbrio, como afirma a nutricionista: “O álcool pode e deve fazer parte da vida das pessoas, mas sempre com moderação. Como qualquer alimento, ele tem que ser ingerido de forma adequada, nos momentos certos e nunca em excesso”.

Estudos apontam que a quantidade ideal de consumo, por exemplo, para um homem de cerca de 70 quilos, é de duas taças de vinho tinto, duas ou três vezes por semana, para que se possa ter os benefícios da uva e para que não haja os malefícios do álcool. Para mulheres, essa quantidade diminui para uma taça, duas ou três vezes por semana.

Depois disso tudo, qual bebida é a melhor?

“O menos pior é sempre o vinho tinto, por causa dos efeitos da uva. Os fermentados são mais prejudiciais porque, além do álcool, eles contêm muito carboidrato, como no caso da cerveja”, exemplifica a doutora. Já os destilados não possuem carboidratos, mas podem ser bastante calóricos.

Qualquer que seja a sua bebida preferida, o importante é a moderação!

Leia também:  Perguntamos aos leitores do Raia Oito os lugares mais inusitados onde já nadaram