Apesar de trazer benefícios à saúde, inclusive no tratamento da depressão, a natação na água fria pode ser perigosa. Isto porque mudanças drásticas de temperatura podem desencadear aumentos rápidos na velocidade da respiração e na frequência cardíaca.

Por isso, Outdoor Swimming Society (Sociedade de Natação ao Ar Livre, em tradução livre) apresenta seis dicas para fazê-lo com segurança. Mas lembre-se: você deve consultar seu médico para saber se sua saúde permite a prática deste ou de outros tipos de exercícios físicos!

1. Faça o aquecimento aos poucos

À medida que a temperatura do seu corpo diminui, continue nadando com calma. Dessa forma, seu corpo vai se adaptar à água gelada.

2. Fique atento à sua segurança

Nadar em águas abertas pode ser perigoso. Por isso, nade apenas em locais seguros, onde você possa entrar e sair da água com facilidade. E nunca vá sozinho!

3. Utilize os equipamentos corretos

Use uma ou duas toucas para manter a temperatura do corpo. Você também pode usar trajes de neoprene de corpo inteiro. Há opções com ou sem mangas. Em caso de provas, você deve consultar o regulamento ou a organização para se certificar de quais tipos de traje são permitidos.

4. Não mergulhe de uma vez

Só faça isso se estiver acostumado com água gelada. Caso contrário, a mudança brusca de temperatura pode causar falta de ar e choque térmico. Vá se molhando aos poucos.

5. Conheça seus limites

À medida que a temperatura cai, diminua a quantidade de tempo que você passa na água. No inverno no hemisfério norte, por exemplo, os nadadores geralmente nadam apenas por um ou dois minutos de cada vez.

6. Depois de nadar, não tente se aquecer de uma vez só

Não tome banho quente logo que sair. A água quente pode esfriar seu tronco e isso pode ser perigoso. Em vez disso, certifique-se de ter roupas quentes, embrulhe-se na toalha ou no roupão e tome uma bebida quente. Só então parta para o banho quentinho!

Texto adaptado do site The Outdoor Swimming Society.