Quem nunca saiu de um treino de natação querendo comer qualquer coisa que vê pela frente? Provavelmente você não é uma exceção e a ciência explica o por que de tudo isso! Vários estudos, incluindo um da Universidade da Flórida, comprovam que o gasto calórico do exercício serve como um estímulo para sentir fome. Além disso, a temperatura da água é um fator que também colabora para você querer comer uma pizza inteira depois do treino. Vamos esclarecer um pouco mais deste fenômeno?

#1 – Temperatura da água

A natação, em especial, é realizada em um ambiente mais frio, ou seja, o seu organismo precisa gastar mais energia para regularizar a temperatura corpórea. É exatamente aí, que a fome aparece.

Um estudo avaliou que o efeito da temperatura da água no apetite pós-exercício concluiu que atletas expostos a 20 graus celsius consumiram, em média, 44% calorias a mais, em comparação aqueles que treinam em águas mais quentes.

Dica: se o seu objetivo com a natação for emagrecer, a sugestão dos especialistas é sair da piscina e ir direto para o banho. O hábito vai ajudar a elevar sua temperatura corporal antes que a vontade de comer fale mais alto.

#2 – Exercício aeróbico intenso

O fato de a natação ser um exercício “intenso” é uma explicação lógica para o aumento do desejo de consumir calorias.

 #3 – Tempo total de exercício

 Um nadador pode passar de três a quatro horas se dedicando ao esporte, ao passo que aqueles que treinam ciclismo, correm ou jogam futebol, raramente farão exercícios por mais de duas horas. O tempo total é importante porque, durante o exercício, o corpo utiliza das reservas alimentares para desprender energia.

Você costuma ter uma “fome de leão” quando sai do treino? Compartilha com a gente o maior lanche que já comeu.