A ultramaratonista de 37 anos se tornou a primeira pessoa a atravessar o Canal da Mancha a nado quatro vezes sem parar nesta manhã de terça-feira. A atleta realiza o feito um ano após terminar o seu tratamento contra o câncer de mama, que incluiu sessões de quimio e radioterapia.

Sarah iniciou o desafio na madrugada de domingo, dia 15 de setembro, em Calais, na França, e chegou em Dover, na Inglaterra, após 54 horas e 10 minutos. Suas parciais foram: 11h26min, 12h34min, 12h57min e 17h05min (esta última ainda necessita confirmação oficial).

Imagem: Outdoorswimmer (Instagram).

A travessia, que havia sido estimada em 135 quilômetros, acabou se tornando 215 quilômetros devido às fortes correntezas e condições do mar.

Ao chegar a praia, Sarah comemorou sua conquista história com direito a champagne e M&Ms.

Foto: John Washer/PA

“Eu não acredito que fizemos isso,” Sarah disse ao jornal BBC. “Eu estou muito cansada agora.” A atleta disse que pretende descansar e dormir o resto do dia.

Antes da travessia, a americana admitiu que estava receosa com o desafio em um post no seu perfil do Facebook. “Estou esperando por essa travessia há mais de dois anos e lutei muito para chegar até aqui. Eu estou 100%? Não – ela disse. “Mas sou o melhor que posso ser agora, com o que passei, e estou com mais vontade e gana do que nunca.”

Foto: Jon Washer/PA

Sarah dedicou sua conquista a “todos os sobreviventes (da doença) por aí”. 

“Isso é para aqueles que oraram por suas vidas, que se perguntaram com desespero o que viria a seguir e lutaram contra a dor e o medo de vencer”, disse ela. 

Até hoje, quatro nadadores haviam cruzado o Canal três vezes seguidas sem parar, mas Sarah foi a primeira a completar a quarta volta. Que feito, que semana para a maratona aquática mundial. Parabéns, Sarah!

O Canal da Mancha

A travessia do Canal da Mancha é conhecido pelas fortes correntezas e baixa temperatura da água, que varia entre 13° e 17°C, o que torna o percurso um dos mais difíceis do mundo. No brasil, 29 atletas já concluíram o desafio, sendo que o último foi o ultramaratonista Mário Pinto, em julho de 2018.