Muitas vezes ficamos tão envolvidos na rotina de treinos, estudos e trabalho que não prestamos atenção em alguns sinais que o nosso corpo nos envia e, quando nos damos conta, estamos esgotados mental e fisicamente. Essa dificuldade em diferenciar um simples cansaço de uma condição médica mais séria ocorre com frequência no mundo esportivo e pode levar a diversos distúrbios relacionados à deficiência energética.

Um destes é a Tríade da Mulher Atleta (TMA).  A síndrome é formada pela inter-relação de três componentes: disponibilidade energética, disfunção hormonal e densidade óssea, e surge da insuficiência ou inadequação da ingestão de energia calórica em relação à demanda energética da atividade física realizada. 

Embora seja mais comum em mulheres que praticam esportes e/ou atividades de resistência, a tríade também pode ser encontrada em não-atletas.

Fonte: Sociedade Paulista de Medicina


Segundo o médico endocrinologista e ex-atleta da seleção brasileira de natação Matheus Schettini de Carvalho, a TMA pode causar distúrbios hormonais afetando o ciclo menstrual e a qualidade óssea.

Outras consequências são:

– Osteoporose precoce – devido à redução na produção de hormônios ovarianos;
– Amenorreia primária (retardo da menarca – menstruação);
– Amenorreia secundária (ausência de três ou mais ciclos menstruais após a menarca);
– Hipoestrogenemia (queda nos níveis de estrogênio no sangue) – em decorrência de uma amenorreia hipotalâmica.

Não é preciso ter os três componentes para que a tríade seja diagnosticada. Alterações em qualquer um dos elementos podem trazer consequências séries como: níveis elevados de estresse, infecções de repetição, baixo rendimento no esporte, emagrecimento excessivo, alterações de humor, além de deixar as atletas mais propensas a lesões.

Sintomas

Ser atleta requer autoconhecimento. Parte das habilidades de ser um atleta é saber identificar o seu limite físico e comunicar suas preocupações e sensações ao técnico responsável, seja na piscina ou na sala de musculação. 

Os sintomas mais frequentes da Tríade da Mulher Atleta são:

– Queda no desempenho físico;
– Cansaço contínuo e exacerbado no dia a dia;
– Alteração no ciclo menstrual;
– Alteração no sono e no humor;
– Fraqueza muscular;
– Desânimo e depressão

Por isso, fique atenta. Caso você desconfie que esteja com um dos sintomas acima, procure um profissional e peça ajuda. Estar saudável é o primeiro passo para obter bons resultados dentro e fora da piscina.

Fontes:
Prevalence of individual and combined components of the female athlete triad. – Jenna C Gibbs, Nancy Ross Williams, Mary Jane De Souza.