A virada olímpica — com sua famosa cambalhota — pode ser um pouco assustadora no início. Afinal, não é muito confortável para quem não está acostumado virar com a cabeça tão perto da parede assim. Mas, aos poucos, é possível dominar essa técnica e https://vabf.org/reading/ap-essay-questions-for-us-history/250/ critical essays on huckleberry finn a free sample cover letter enter essay potna fuck love https://www.carrollkennelclub.org/phrasing/speech-writing-guidelines/6/ https://sacredwaters.net/citrate/cytotec-in-uae/60/ research paper writing service persuasive essay topics for sixth graders click here essay on discipline in school click source https://thembl.org/masters/dissertation-et-citation/60/ follow url get link report writing examples get viagra with no prescription critical thinker definition best resume writing services military over counter viagra alternative uk cialis 20 mg recreational que pasa si tomo viagra a los 19 aos https://www.arohaphilanthropies.org/heal/cialis-gifford/96/ go to site follow url https://chanelmovingforward.com/stories/resume-writing-services-katy-tx/51/ viagra bulverde resume format for college teacher viagra canada customs click here viagra safe use aprender a virada olímpica!

A seguir, vamos aprender dois educativos: um que podemos considerar de nível básico, para quem quer começar fazer suas primeiras viradas olímpicas sem medo; e outro de nível intermediário/avançado, para aqueles que já fazem a cambalhota sem medo, mas querem endireitar e acelerar essa etapa. Vamos a eles?

Educativo básico: virada-beijo

Para começar a fazer a virada olímpica, você precisa, em primeiro lugar, aprender a fazer a cambalhota para frente. Em um primeiro momento, não precisa ser a cambalhota mais rápida do mundo. Afinal, você estará dando seus primeiros passos. Mas é importante tentar realizar o giro com o corpo o mais compacto possível, para que a cambalhota seja feita bem fechada.

Passo a passo

Quando dominar a cambalhota, hora de se acostumar com a ideia de realizá-la pertinho da borda. Para isso, faça os passos a seguir:

  1. Coloque as mãos na parede com os braços estendidos para frente e flutue seu corpo, na posição do nado crawl, com a barriga para baixo;
  2. Tente não agarrar a borda. Use-a apenas como uma referência para as mãos e, se precisar, bata as pernas de leve para ajudar na sustentação do corpo;
  3. Faça a cambalhota a partir dessa posição, parado no mesmo lugar. Você pode começar mais distante da parede para se sentir mais seguro, mas depois tente aproximar;
  4. Ainda não dê o impulso com os pés na parede. Faça o giro no mesmo lugar.

Com esse educativo da virada-beijo — que leva esse nome porque, após a cambalhota, você para com o rosto próximo à parede —, você pode ir se acostumando com a ideia da cambalhota perto da borda. À medida que for se sentindo mais seguro, você pode vir nadando e fazer a cambalhota, ao invés de começar parado da borda.

Ou, então, é possível começar na posição do passo 1, descrita acima, e adicionar o impulso na parede depois do giro. Quando incluir essa etapa, lembre-se de empurrar a parede ainda com a barriga para cima e só começar a acertar o seu eixo, virando a barriga para baixo no caso do crawl, depois que seus pés já tiverem impulsionado a parede. 

Nesse primeiro momento, não se preocupe com a velocidade. Importe-se em se acostumar com a cambalhota perto da parede. À medida que for se acostumando com o giro, você pode aumentar a velocidade e até mesmo praticar o próximo educativo para sua virada olímpica.

Educativo intermediário/avançado: castelo de pranchas

Esse educativo tem dois objetivos principais: endireitar o giro na hora da virada e aumentar sua velocidade. Ele deve ser realizado em uma piscina de borda baixa. Você deve fazer um castelinho com duas pranchas — como se estivesse apoiando duas cartas de baralho uma na outra — e deixá-lo na borda.

Seu objetivo será fazer uma virada com o eixo da cambalhota o mais reto possível e na maior velocidade possível. Assim, a água espirrada no momento em que você joga as pernas vai derrubar as pranchas. Se você virar torto ou lentamente, a água não atingirá as pranchas. Observe no vídeo:

Com esse educativo, você pode vir nadando do meio da piscina para as viradas e, por que não, fazer uma aposta com os amigos? Quem derrubar menos vezes as pranchas paga um almoço, que tal melhorar sua virada olímpica e ainda ganhar um prêmio?

Texto traduzido e adaptado do site SwimSwam.