A eficiência do nado é muito importante e, sem ela, é muito pouco provável que você consiga nadar bem. É comum que se confunda eficiência com velocidade, mas são coisas diferentes. A eficiência não é determinante em provas, mas a velocidade é.

Eficiência mecânica

Existem duas formas diferentes de medir a eficiência no nado, que estão relacionadas mas não são a mesma coisa. A eficiência mecânica tem a ver com o quão bem a velocidade do nadador é mantida. Quanto maior a variação na velocidade do nado, menor a eficiência. A eficiência mecânica é regida pela lei da inércia. Quando mais mudanças de velocidade, mais energia é gasta para alcançar a rapidez desejada.

Eficiência fisiológica

Já a eficiência fisiológica é medida em metros por caloria. Similar a medir a eficiência de um carro em quilômetros por litro (eficiência do combustível), a eficiência fisiológica mede quanta energia é gasta pelo atleta ao nadar determinada distância. Quanto menos energia necessária, mais eficiente é esse nadador.

Os carros são mais eficientes em uma estrada, movimentando-se em uma velocidade constante, em comparação a uma cidade, onde variações de velocidade são comuns. O mesmo acontece na natação.

Não existe, entretanto, uma forma simples de medir o número de calorias que um nadador gasta para nadar uma distância, então essa medida da eficiência fisiológica não é prática. 

Eficiências mecânica e fisiológica juntas

Com ajuda da biomecânica, utilizando a tecnologia do velocímetro, todavia, é possível medir a velocidade e suas variações durante o nado. Dessa forma, observar a eficiência mecânica de um nadador é relativamente simples, se comparada à fisiológica.

A eficiência de um nadador não está, necessariamente, relacionada à sua velocidade. Em geral, a velocidades mais altas, os nadadores costumam se tornar menos eficientes do que ao nadar mais lentamente.

Entretanto, o objetivo da natação é nadar rápido. E, para se tornar um nadador de alto rendimento, é impossível não ser eficiente. Caso contrário, a velocidade não se sustenta, uma vez que você vai se cansar muito mais.

Grandes nadadores são capazes de acelerar o nado gerando muita propulsão e administrando o atrito com a água por meio da boa técnica de nado. E eles queimam muitas calorias. Nadadores de borboleta e de peito costumam ser menos eficientes que nadadores de crawl, por causa da natureza dos estilos. Já o costas, se nadado corretamente, tende a ser o estilo mais eficiente de todos.

Eficiência do nado x Velocidade

É claro que o objetivo final não é nadar da forma mais eficiente possível. Afinal, isso não necessariamente significa bater na frente na hora da prova. O ideal é que o nadador consiga manter a maior velocidade por mais tempo possível. E, para atingir esse objetivo, a eficiência é uma grande aliada.

Ao usar uma técnica de nado pouco desenvolvida — dobrando muito os joelhos para bater perna, com o quadril fundo ou com a cabeça olhando muito para frente, por exemplo — o nadador perde tanto eficiência quanto velocidade.

Nadadores devem ser eficientes em todas as distâncias. Dessa forma, ao se tornarem mais eficientes, será possível nadar mais rápido por distâncias maiores.

E então, está pronto para se tornar mais eficiente — e rápido?

Texto traduzido e adaptado do site SwimSwam.